terça-feira, 4 de outubro de 2016

Opinião: "A Maldição do Corvo Negro" - Ann Cleeves

Título: A Maldição do Corvo Negro (Shetland Island #1)
Autor: Ann Cleeves
Editora: Verso da História
ISBN: 9789896281366
Páginas: 336
Sinopse: Numa fria manhã de Janeiro, as ilhas Shetland jazem sob um espesso manto de neve. A caminho de casa, os olhos de Fran Hunter são atraídos por uma mancha de cor viva no meio da brancura, sobre a qual paira um bando de corvos. Trata-se do cadáver estrangulado de Catherine Ross, a sua vizinha adolescente. Enquanto Fran abre a boca para gritar de horror, os corvos continuam a sua dança macabra… Os habitantes da pequena e tranquila ilha focam imediatamente as suas suspeitas num homem - o solitário e retardado Magnus Tait. Mas quando a polícia insiste em investigar mais a fundo, o véu da suspeita ergue-se sobre toda a comunidade. Pela primeira vez em muitos anos, os vizinhos de Catherine fecham nervosamente as portas à chave, enquanto um assassino vive no meio deles. A Maldição do Corvo Negro é um romance policial inesquecível e magnificamente concebido e consolida a reputação de Ann Cleeves como uma das mais importantes novas vozes no policial de ambiente psicológico. A Maldição do Corvo Negro é o primeiro livro de uma tetralogia, "O Quarteto das Shetland", todo passado nas Ilhas Shetland e que tem o detective Jimmy Perez como protagonista. Ao longo destes quatro livros, o detective vai mantendo uma relação amorosa com Fran Hunter, uma pintora, mãe solteira de uma adolescente, que conhece justamente neste primeiro livro e o irá acompanhar ao longo dos próximos três casos de polícia passados neste sítio calmo e pacatíssimo, onde parece que nada de mal pode acontecer. Policial clássico - com a estrutura típica do descobrir "quem é o culpado" dentro de uma comunidade fechada - mas com uma linguagem narrativa actual e que se lê de um fôlego, Ann Cleeves tem sido comparada a Barbara Vine e a Agatha Christie, pelo enredo clássico e a trama psicológica densa e tensa. 

Opinião (pode conter spoilers): 
Apesar da reputação de Ann Cleeves no mundo dos policiais, a verdade é que não conhecia o seu trabalho. Mas a leitura deste primeiro volume da saga "Shetland Island" foi uma boa surpresa! O mistério está lá e a ação também, apesar de algumas das passagens precisarem, a meu ver, de mais algum suspense e um desenrolar da história mais rápido.

Anos após o desaparecimento e presumível homicídio de Catriona Bruce na ilha de Shetland, uma outra jovem é desta vez encontrada entre a neve que caíra durante a noite: Catherine Ross. Jimmy Perez, inspetor da polícia, apressa-se a tentar descobrir qual o paradeiro da jovem nos momentos antes do seu homicídio. Para isso, fala com a sua melhor amiga, Sally e mais uns jovens que a acompanharam aquando de uma festa de Ano Novo. Um primeiro suspeito é Magnus Tait, um idoso que vive perto de onde Catherine foi encontrada. Devido à sua personalidade sombria, reservada e fria, Magnus vê-se perante dificuldades para com o corpo policial.

Ao longo do livro, a narrativa foi dando algumas pista que levariam à descoberta da identidade do assassino. Mas, na verdade, este revelou-se ser quem eu menos esperava! De todas as personagens que eu poderia suspeitar, o assassino revelou-se ser uma pessoa bastante comum. E, se calhar, isto mesmo quer dizer que, por vezes, os atos mais horríveis são consumados por aqueles que menos esperamos.

Por outro lado, gostaria de ter visto a história das personagens principais mais desenvolvida. A narrativa pareceu-me algo pobre relativamente a isso e tornou a leitura um pouco superficial. Se houvesse mais algum desenvolvimento deste aspeto, acho que a história ganharia bastante mais!

Ao longo da história, Ann Cleeves conseguir trazer bastante suspense e mistério a esta obra policial. Contudo, considero que em algumas passagens, a história perdeu alguma da sua ação; razão pela qual dei as estrelas. Mas, apesar disso, gostei bastante desta leitura e mal posso esperar por ler a sua continuação! 

Rating: 4/5

Leitura com o apoio da editora Verso da História

Sem comentários:

Enviar um comentário