terça-feira, 20 de setembro de 2016

Lançamento: "O Lagarto" & "O Ano da Morte de Ricardo Reis" - José Saramago

(...) O Lagarto, um livro que une as palavras de José Saramago e as xilogravuras de J. Borges, mestre brasileiro de arte popular. Nesse dia, às 18:30, este livro será apresentado no FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos, numa sessão que inclui a inauguração da exposição com as matrizes em madeira das gravuras que constam no livro.

Título: O Lagarto
Autor: José Saramago
Editora: Porto Editora
ISBN: 9789720048813
Páginas: 24
Data de lançamento: 22/09/2016

Sinopse: O Lagarto é um conto breve incluído em A Bagagem do Viajante (1973), volume que reuniu as crónicas escritas por José Saramago para o diário A Capital e para o semanário Jornal do Fundão. A história narra o aparecimento, no Chiado, de um misterioso lagarto, cuja presença surpreende os transeuntes e mobiliza os bombeiros, o exército e a aviação.





O Ano da Morte de Ricardo Reis, de José Saramago, regressa no dia 22 de setembro às livrarias numa nova edição da Porto Editora. (...) É um dos romances mais lidos do Nobel português e está neste momento em cena, no teatro A Barraca, numa adaptação do encenador e dramaturgo Hélder Mateus da Costa. A caligrafia da capa desta edição é do Professor Carlos Reis.

Título: O Ano da Morte de Ricardo Reis [Nova Edição]
Autor: José Saramago
Editora: Porto Editora
ISBN: 9789720048820
Páginas: 496
Data de lançamento: 22/09/2016

Sinopse: Um tempo múltiplo. Labiríntico. As histórias das sociedades humanas. Ricardo Reis chega a Lisboa em finais de dezembro de 1935. Fica até setembro de 1936. Uma personagem vinda de uma outra ficção, a da heteronímia de Fernando Pessoa. E um movimento inverso, logo a começar: «Aqui onde o mar se acaba e a terra principia»; o virar ao contrário o verso de Camões: «Onde a terra acaba e o mar começa.» Em Camões, o movimento é da terra para o mar; no livro de Saramago temos Ricardo Reis a regressar a Portugal por mar. É substituído o movimento épico da partida. Mais uma vez, a história na escrita de Saramago. E as relações entre a vida e a morte. Ricardo Reis chega a Lisboa em finais de dezembro e Fernando Pessoa morreu a 30 de novembro. Ricardo Reis visita-o ao cemitério. Um tempo complexo. O fascismo consolida-se em Portugal.

Sem comentários:

Enviar um comentário