sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Opinião: "The Progeny" - Tosca Lee

Título: The Progeny (Descendants of the Blood Countess #1)
Autor: Tosca Lee
Editora: Howard Books
ISBN: 9781476798707
Páginas: 384
Data de lançamento: 24/05/2016
Sinopse: Emily Jacobs is the descendant of a serial killer. Now, she’s become the hunted. She’s on a quest that will take her to the secret underground of Europe and the inner circles of three ancient orders—one determined to kill her, one devoted to keeping her alive, and one she must ultimately save. Filled with adrenaline, romance, and reversals, The Progeny is the present-day saga of a 400-year-old war between the uncanny descendants of “Blood Countess” Elizabeth Bathory, the most prolific female serial killer of all time, and a secret society dedicated to erasing every one of her descendants. A story about the search for self filled with centuries-old intrigues against the backdrop of atrocity and hope. 

Opinião (contém spoilers):
Emily Porter é uma rapariga de 21 anos que acorda num lugar isolado sem ter quaisquer memórias do passado depois de, voluntariamente, ter decidido fazê-lo. Deste forma, adotou uma nova identidade e até que esta esteja apta a voltar à sua nova vida, tem consigo uma cuidadora: Claire, que está de partida logo no início da narrativa.

No entanto, pouco antes de partir definitivamente e antes de se deslocarem até à cidade, Claire dá uma carta a Emily escrita por ela própria antes de ter decidido apagar todas as suas memórias que deve ler quando voltar a casa. Enquanto está na cidade, Emily apercebe-se de que está um homem a observá-la e conhece Luka, um empregado da mercearia.

Quando volta a casa, Emily decide, então, ler a carta que lhe diz para se manter afastada de tudo, pois a sua vida e de outros depende disso. Logo nos primeiros capítulos, com a ajuda de Luka, Emily descobre inúmeras coisas acerca do seu passado: é descendente de uma serial killer (Elizabeth Bathory), o seu nome não é na verdade Emily Porter mas sim Audra Ellison e é conhecida como "Progery". Para além disso, Audra toma conhecimento de que existe uma sociedade secreta conhecida como os "Hunters" que querem acabar com os todos descendentes de Elizabeth. Mas não se ficam por aqui, quando matam alguém, os Hunters conseguem apoderar-se de todas as suas memórias. Contudo, Audra não tem nenhumas.

Apesar de Audra estar numa fase de amnésia total, sem saber em quem pode confiar, esta vê-se obrigada a fazer aliados muito rapidamente sem pensar muito nas consequências. Assim, à medida que Audra viaja pelo mundo em busca de pistas acerca do seu passado, esta apercebe-se de que os seus amigos podem não ser considerados como tal.

Quando parece que Audra já tem todas as suas respostas e conhecimento acerca de tudo o que é importante saber acerca do seu passado, a história dá uma volta. E é assim que o livro termina, com Audra a aperceber-se de que Luka poderá ser mais do que aquilo que aparenta. Porque, apesar de Luka saber tudo acerca de Audra, este decide poupá-la devido à sua perda de memória. Pelo que, o que vamos sabendo acerca deste, é através de pistas que Audra descobre. E, claro, as maiores revelações acontecem no(s) último(s) capítulo(s).

Ao longo de toda uma história intrigante e cativante, a relação de Audra e Luka vai crescendo de tal forma que fiquei agarradinha ao livro! Mas, claro, que o livro teria de acabar de uma forma inesperada! Com ambos afastados um do outro, Audra descobre algo que a faz arrepender-se do que havia acabado de fazer.

Em suma, com um final em aberto, arrependimentos e descobertas que podem mudar todo o rumo da história, é obvio que neste momento queria já ter o segundo volume para continuar esta aventura!

Rating: 5/5

Leitura com o apoio da editora via Netgalley:

Sem comentários:

Enviar um comentário