quinta-feira, 16 de abril de 2015

Opinião: "Maze Runner - Provas de Fogo" - James Dashner

Título: Maze Runner - Provas de Fogo (Maze Runner #2)
Autor: James Dashner
Editora: Editorial Presença
ISBN: 9789722350815
Páginas: 367
Sinopse: Atravessar o Labirinto devia ter sido o fim. Acabar-se-iam os enigmas, as variáveis e a fuga desesperada. Thomas tinha a certeza de que, se conseguissem fugir, ele e os Clareirenses teriam as suas vidas de volta. Mas ninguém sabia realmente para que tipo de vida iriam regressar... Lá fora, ao invés da liberdade, encontram mais uma prova. Agora têm de atravessar a Terra Queimada, uma região desértica e ameaçadora, onde os Crankos, pessoas cobertas de feridas e infetadas por uma misteriosa doença chamada Fulgor, vagueiam pelas cidades devastadas à procura da próxima vítima. À medida que Thomas vai recuperando algumas memórias confusas do passado, não pode deixar de se perguntar: saberá ele de alguma forma o segredo para a liberdade, ou ficará para sempre à mercê da CRUEL?

Opinião (contém spoilers):
Apesar de o livro poder ser lido rapidamente e sem grande esforço, penso que a maior parte das cenas poderiam ser cortadas sem provocarem grande diferença para o enredo. Para além disso, acho que as expressões utilizadas pelas personagens, são um tanto infantis e demasiado repetitivas, que chega a tornar-se cansativo. Posso dizer que ler este livro foi algo de aborrecido, a começar pelo comportamento bipolar de Teresa ao longo de toda a história. A rapariga passa de dizer para Thomas confiar nela, para situações em que o quer matar por isto ou aquilo. E claro que a desculpa de ter sido a CRUEL a planear tudo já estava a tornar-se demasiado usada. Depois, considero que o comportamento de Thomas no primeiro livro era muit mais cativante do que neste. Nada contra, mas o rapaz passou de uma pessoa cheia de garra e força de vontade, para alguém que fica indignado com tudo o que dizem e passa a maior parte do tempo a dormir ou desmaiado. A personagem mais cativante, a meu ver, foi Minho. Não só pela sua coragem, mas também pela sua garra, inteligência e astúcia. O que mais me chamou a atenção foi a cena onde os Clareirenses estavam a percorrer o túnel subterrâneo (logo no início do livro) e as cabeças de alguns se transformaram em bolas de ferro. Fora isso, os últimos capítulos foram aqueles que mais me cativaram em todo o livro: mais ação, desenvolvimento e aspetos realmente importantes/pertinentes para o desenrolar de todo o enredo.

Rating: 2/5

Sem comentários:

Enviar um comentário